quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Sapiranga / Araçá-Piranga


No final do século XIX Jacobina Mentz e seu marido, João Maurer, fundaram uma seita religiosa no Morro ferrabráz.
Vista do topo do Monte Ferrabráz
Os adeptos ficaram conhecidos como  Muckers (em alemão significa falso santo).
Jacobina e João Jorge Maurer se conheceram em Hamburgo Velho, na metade do século XIX. Casaram-se e mudaram-se para Leoner-Hof (como era denominada Sapiranga). Jacobina sofria de ataques epilépticos, desde criança, o que fazia com que ela fosse vista como vítima de um transtorno do sistema nervoso, agravados por leituras de natureza religiosa.
Além disso, Jacobina auxiliava o marido no curandeirismo. Naquela época,haviam poucos médicos.
 Aos poucos, Jacobina misturava a religião com o atendimento aos doentes, através de leituras de passagens bíblicas para os pacientes. Logo, ela tornava-se famosa por suas meditações milagrosas.
Os adversários de Jacobina, preocupados com os acontecimentos no Ferrabraz, realizaram um abaixo-assinado, levando a imprensa da época a tomar partido contra Jacobina.
Em pouco tempo surgiram diversos conflitos, acarretando em violência e mortes. Em 28 de Junho de 1874 policiais atacaram os Mucker, que venceram o conflito. Isso contribuiu para a crença da divindade de Jacobina. Após outro ataque falho, Jacobina conseguiu fugir e se esconder no Ferrabraz. O fim do conflito foi no dia 02 de Agosto do mesmo ano, quando um traidor (Pedro Serrano)levou as forças policiais até o esconderijo de Jacobina Mentz, que foi morta junto da maioria dos Mucker.

Sobre Jacobina:

Nome: Jacobina Mentz Maurer
Nascimento: junho de 1841 ou 1842. Nasce em Hamburgo Velho, RS. Filha de André Mentz e Maria Elizabeth Müller. Ambos alemães.
Profissão: dona de casa.
4.ABRIL.1854: É crismada em Hamburgo Velho.
Aos nove anos, perde seu pai. Passa a sofrer influência de sua mãe, uma mulher muito religiosa e de princípios rígidos. Aos doze anos, começam seus "estranhos ataques". Na escola, passa por aluna de difícil percepção. Doutor Hillebrand aconselha a família que procure, "o quanto antes", um casamento para Jacobina.
26.ABRIL.1866: Casa com o carpinteiro João Jorge Maurer, descrito como um homem insinuante, boa índole, de trato amável. O casamento é realizado em Hamburgo Velho.
1867: Nascimento de seu primeiro filho, Jacob, que desaparece das cenas do Ferrabrás e ressurge em registros de 1920, em Uruguaiana, como eficiente pregador da Igreja Adventista do Sétimo Dia e carpinteiro, como o pai. Jacobina adoece de repente. Fica muda e alheia a tudo. No segundo semestre, mudam-se para Ferrabrás, cenário dos acontecimentos do episódio conhecido como Mucker.
1868: Nascimento de seu segundo filho, Henrique. Aparecimento de Buchorn, que ensina Maurer a praticar o curandeirismo, o que o tornará famoso. São atraídos os primeiros seguidores da seita, mas não despertam mais que olhares atravessados dos católicos, dos comerciantes e das autoridades. Maurer passa a ser considerado o Wunderdocktor, ou seja, o Doutor Maravilhoso.
1869: Nascimento de seu terceiro filho: Francisco Carlos.
1870: Nascimento de sua quarta criança: Matilde.
1871: Por essa ocasião, aparece um opúsculo sobre sonambulismo na zona rural do Estado. Identificam Jacobina como vidente e curandeira, devido ao seu estado de sonambulismo, e, como tal, sabedora de segredos desconhecidos aos demais mortais. Aumenta o número de curiosos na casa dos Maurer.
1872: Nascimento de sua filha Aurélia. Quando sua mãe foi assassinada no Ferrabrás, tinha dois anos e três meses. Vinte e três anos depois, surge referência a Aurélia. Casada com Miguel Nöe, filho de um Mucker convicto e autor de importantes memórias. Aurélia, aparentemente era médium, como sua mãe. No final desse ano, os Mucker começam a ser pressionados. Abanam escolas, igrejas. Começa a ascensão de Jacobina.
1873: Declínio da influência do curandeiro Maurer.
Jacobina escreve, pela mão de Klein, para seu irmão Francisco. Franz, como era chamado, era o único irmão que não pertencia à seita. A partir de maio, Jacobina e alguns Mucker abandonam as igrejas.
21.maio - Maurer é enviado a Porto Alegre, preso, depois de prestar depoimento.
22.maio - Jacobina é levada para São Leopoldo, presa, por uma escolta de oito praças, em uma carreta. A viagem durou nove horas. Foi insultada, exposta ao público.
23.maio - Jacobina responde a interrogatório do chefe de polícia, revelando inteligência e sagacidade.
24.maio - Jacobina é internada na Santa Casa de Porto Alegre. O chefe de polícia ordena uma busca na casa dos Maurer.
13.junho - Alta de Jacobina, sendo constatado que não portava nenhuma enfermidade.
05.julho - Jacobina e o marido são mandados para São Leopoldo. João Jorge assina um "termo de bem viver". Voltam para o Ferrabrás como heróis.
Final de 73 - Viagem de Maurer ao Rio de Janeiro. Rodolf Sehn ocupa o lugar de receptáculo das mensagens de Jacobina.
1874: Ascensão de Rodolfo Sehn. Nascimento de Leidard, no mês de maio, sexta e última criança de Jacobina. Jacobina envia uma carta pela mão de Klein, a Lúcio Schreiner, querendo saber notícias da ausência de seu marido. Chacina da família Kassel em quinze de junho. Martinho Kassel, ex-Mucker, agora é ativo propagandista anti-Mucker. Recorre à polícia. Sua casa é incendiada com a mulher e os filhos.
A violência explode na colônia. Klein é preso e enviado a Porto Alegre. Crimes são praticados em Campo Bom e Sapiranga. São incendiadas casas na Picada do Hortêncio e em Linha Nova. Antes do último combate, Maurer se despede de Jacobina. Jacobina pede que lhe escrevam uma carta, na qual diz onde deveriam ficar seus cinco filhos e com quem. Leidard, cuja morte é controvertida, permanece com ela.
19.julho - capturados os cinco filhos de Jacobina. Combate no Ferrabrás.
20.julho - Morre o Coronel Genuíno Sampaio. Comandava as poderosas forças militares inimigas dos Mucker.
Assume o comando repressor o Capitão Dantas, do 12° Batalhão de Infantaria.
02.agosto - morre Jacobina, com mais dezesseis adeptos.

Caminhos de Jacobina


O roteiro Caminhos de Jacobina foi criado com a intenção de ajudar as pessoas a conhecer mais sobre o episódio dos Muckers. 
Episódio esse que inspirou o autor Luiz Carlos Barreto no filme A Paixão de Jacobina
Ao contrário do filme onde a personagem Jacobina foi interpretada pela atriz Letícia Spiller , Jacobina era baixa, gordinha e de cabelos castanhos.
O roteiro tem os seguintes pontos:
  • Cemitério no bairro Amaral Ribeiro - Mantém os túmulos de quatro moradores de Sapiranga, mortos no conflito com os Mucker(Anti-Mucker), na década de 1870. Os Mucker foram enterrados em valas e cobertos com espessa camada de cal para que seus corpos se decompusessem o mais rapidadamente possível. Portanto não existe Mucker enterrado nos cemitérios de Sapiranga, pois não eram considerados santos e mereceredores de tal honraria. A arte funerária e as inscrições nas lápides doséculo XIX mostram traços culturais e religiosos da comunidade.
  • Estátua do Cel. Genuíno Sampaio - Estátua erguida por colonos próximo à residência de Jacobina. Em 1874, nesse local, travaram-se duas batalhas entre os soldados do Coronel Genuíno Sampaio e o grupo de Jacobina.
  • Cruz de Jacobina - Neste local, Jacobina e alguns do seu grupo se abrigaram para fugir do confronto com seus perseguidores. Acruz foi colocada no início do século XX, depois da visita de um dos remanescentes do confronto. Acredita-se que neste local Jacobina tenha sido assassinada.
  • Locação "A Paixão de Jacobina" - A propriedade serviu como locação para o filme "A Paixão de Jacobina". Possui uma casa em estilo enxaimel, com mais de cem anos e reproduções dos personagens do filme, uma cozinha em estilo enxaimel, um galpão onde foi filmada a cena final e a trilha da Três Quedas com acesso a cascatas onde se pode tomar banho.
Fontes : Wikipédia.
http://www3.est.edu.br/nepp/revista/002/02elma.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário